terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Falta de consciência e interferência eletromagnética.

Oi, pessoal. Estou retornando após uma merecida e bem aproveitada viagem de férias. A partir de agora pretendo ter uma maior frequência nas postagens que realizo aqui no blog.

E para começar queria abordar algo que sempre acho absurdo em viagens de avião: o desrespeito às normas de não utilização de aparelhos eletrônicos, durante algumas fases do vôo.  E aqui quero frisar principalmente o uso do celular.

No meu vôo de retorno de Nova Iorque, o avião fazia uma conexão em Miami. Durante o procedimento de aterrissagem e taxiamento em Miami, uma passageira simplesmente ligou o seu celular para chegar os seus e-mail. E esse não foi o único caso, um outro passageiro, que por sinal estava sentado a minha frente, simplesmente atendeu o celular quando este tocou sem nenhuma cerimônia. Pior, o avião teve que ficar taxiando e esperando na pista por uns 15 a 20 minutos, pois o portão que iria parar estava ocupado e teve de aguardar a liberação, e durante todo esse tempo as pessoas estavam usando os seus celulares. Fiquei irritado e indignado com a situação, ou melhor, “fiquei retado”, como dizem os baianos. Um tremendo desrespeito, falta de consciência e imprudência. Será que essas pessoas acham que esse papo de interferência eletromagnética é balela? Se acham, são uns idiotas. Caso algum deles visite esse blog e queira saber mais sobre o assunto é só clicar aqui e ler um artigo científico sobre o assunto. Será que a ligação ou o e-mail eram tão importantes e cruciais que se deixados para um pouco mais tarde poderiam causar o fim do mundo? Ou será que simplesmente não podem viver sem ler seus e-mail´s ou atender um ligação?

Para mim o que ocorre é que as pessoas que fazem isso são inconsequentes, imprudentes e sem educação.

No mais, queria salientar que aparelhos de cd, dvd, videogames, players (MP3, MP4, Ipod, etc) e congêneres também são equipamentos eletrônicos e podem causar alguma interferência. E isso também pode ser comprovado no mesmo artigo que cito acima.
  
Para aqueles que vestirem a carapuça e infelizmente se sentirem ofendidos com esse post... não peço desculpas. Peço na verdade que pensem mais sobre o assunto.

Vamos tentar coibir o uso inapropriado destes dispositivos nos vôos, pedindo ao usuário ou, se for o caso, reclamando com ele e/ou com a tripulação. 

4 comentários:

  1. Parabéns pelo post Alano, mas acho que essa concientização tem que ser feito pelas empresas de aviação ou então implantar algum dispositivo que corte o sinal de telefonia e banda larga dentro das aeronaves.

    ResponderExcluir
  2. Se usar aparelhos eletrônicos fossem algo realemente arriscado em vôos, companhias e governos não autorizariam que as pessoas embarcassem com tais aparelhos. Provavelmente teríamos que despachá-los junto com a bagagem. Risco há em tudo nessa vida, cabe avaliar se é um risco alto ou baixo. Acho que estamos lidando mais com uma questão de educação e respeito as regras e ao próximo do que com o risco propriamente dito. As rádios piratas, por exemplo, oferecem um risco muuuito maior que usar um celular dentro de um avião.

    ResponderExcluir
  3. Paulo José,
    Concordo com você quando diz: "Risco há em tudo nessa vida, cabe avaliar se é um risco alto ou baixo." Se na sua visão a possibilidade de mudança no funcionamento de uma bússola ou de um equipamento de vôo não é um risco alto, para mim é. E é MUITO ALTO!!!
    Mas concordo também quando diz que o problema maior é de educação e respeito às regras e ao próximo.
    Quando for viajar de avião me avise que não quero estar no mesmo vôo... KKKKK... Brincadeira, pois te conheço e sei que não está no grupo que desrespeita essas regras.
    Grande abraço e valeu pelo comentário, afinal o intuito desse blog é esse, discutirmos e crescermos juntos.
    Abração

    ResponderExcluir
  4. Há uns aparelhos que vêm com o modo "avião", o que permite se trabalhar sem que gere interferência nos equipamentos de navegação aérea. Não sei quão confiável é o recurso, mas, com certeza, não torna possível o uso da telefonia à bordo. E, mesmo em terra, preservar a qualidade da comunicação entre piloto e torre de controle parece ser mais importante que privilegiar os afazeres urgentes que todos sempre temos.
    A ignorância digital passa não apenas pelos que não saber usar a tecnologia, mas, sobretudo pelo mau uso que se faz dela para degradar a convivência: som elevado, celulares tocando em momentos inconvenientes, conversas que deveriam ser privadas e que ocorrem à luz do dia... Temo pelo dia em que a TV se popularize na tela dos celulares, iPads, Galaxys & afins.

    ResponderExcluir